Corinthians é campeão invicto da Taça Libertadores

Corinthians teve contra o Boca vitória mais tranquila da reta final.

Por Redação Tudo UP! – RPT

Compartilhe

Todos os corintianos imaginavam uma final com a cara do Corinthians, com muito sofrimento, suor e lágrimas. Mas nem foi preciso tanto esforço no Pacaembu para levantar o troféu de campeão da Libertadores pela primeira vez na história. Mesmo com um ritmo menos frenético, a equipe paulista conseguiu sua vitória mais tranquila da reta final do torneio.
O triunfo por 2 a 0 sobre o Boca Juniors no Pacaembu foi conquistado sem muitos sustos ou calafrios e representou o confronto mais fácil do mata-mata desde as quartas de final. Nem a marcação, ponto forte da equipe de Tite em toda a competição, se destacou.
De acordo com o Datafolha, o Corinthians conseguiu menos desarmes contra os xeneizes do que no restante da competição. Foram 129 contra uma média de 139. O número de passes errados chegou a 68, sete a mais que a média alvinegra na Libertadores.
A troca de passes também deixou a desejar. Os jogadores conseguiram trocar a bola 209 vezes, um número bem abaixo das 234 trocas em média ao longo do torneio.
E, mesmo balançando mais as redes mais que a média de 1,54 gol por partida, os atacantes trabalharam menos. Foram apenas oito finalizações para que Emerson Sheik se tornasse o herói da decisão com dois gols. No decorrer da campanha, o Corinthians deu em média 14 chutes a gol por partida.
O Corinthians também não encontrou um adversário à altura no segundo jogo da final. O Boca cometeu muitos erros, como um grosseiro de Schiavi no segundo gol de Sheik, e viu sua estrela Riquelme totalmente apagada. No primeiro jogo, o time argentino havia imposto mais dificuldades e o Corinthians só não saiu derrotado de La Bombonera porque Romarinho estava em noite inspirada.
Os dois duelos contra Vasco e Santos também ameaçaram mais o título inédito que a decisão propriamente dita. Nas quartas de final, não faltou emoção para o torcedor. Depois do polêmico empate por 0 a 0 no Rio de Janeiro por um impedimento de Alecsandro que nem o tira-teima decifrou, um gol que Diego Souza perdeu na cara de Cassio e a estrela de Paulinho aos 42 minutos do segundo tempo garantiram a classificação no Pacaembu.
Contra o Santos, o nervosismo ficou para o segundo jogo após o triunfo por 1 a 0 na Vila Belmiro. O gol de Neymar deixou os corintianos preocupados, mas lá estava Danilo para empatar com toda a sua frieza e colocar o Timão na final pela primeira vez em sua história.
Fonte: http://esporte.uol.com.br/futebol/
COM O APOIO DE

CONTINUE INFORMADO

Tivoli Shopping tem nova edição do CineMaterna na próxima terça, dia 28
Casa Hermann Muller é tema de exposição de fotos na Câmara Municipal de Americana
Casa Hermann Muller é tema de exposição de fotos na Câmara Municipal de Americana
"Bee Gees Forever" se apresenta no Teatro Municipal neste sábado
Moradora de Sumaré ganha moto no Espetáculo de Prêmios da Acia
'Furiosa': filme da saga 'Mad Max' estreia nesta quinta-feira
Prefeitura arrecada agasalhos no sistema drive-thru
Exposição "Alma de Artista" pode ser visitada na Biblioteca Municipal
Americana recebe a ópera "Suor Angelica", de Giacomo Puccini
Briga por causa de gatos tem disparo de arma de fogo em condomínio de Americana
Veja Mais Notícias
Tivoli Shopping tem nova edição do CineMaterna na próxima terça, dia 28
Casa Hermann Muller é tema de exposição de fotos na Câmara Municipal de Americana
Casa Hermann Muller é tema de exposição de fotos na Câmara Municipal de Americana
"Bee Gees Forever" se apresenta no Teatro Municipal neste sábado
Moradora de Sumaré ganha moto no Espetáculo de Prêmios da Acia
'Furiosa': filme da saga 'Mad Max' estreia nesta quinta-feira
Prefeitura arrecada agasalhos no sistema drive-thru
Exposição "Alma de Artista" pode ser visitada na Biblioteca Municipal
Americana recebe a ópera "Suor Angelica", de Giacomo Puccini
Briga por causa de gatos tem disparo de arma de fogo em condomínio de Americana